Conheça o projeto “Acidum” de Fortaleza e seus Murais

Seu repertório tem de seres obscuros, propagandas insanas, lendas urbanas, grafias desordenadas, cenários entorpecedores

O Acidum é um projeto de coletivo nascido na cidade de Fortaleza/Ce/Brasil, que vem realizando trabalhos referentes à Arte Urbana. Criado pelo artista Robézio (a.k.a AC/D1) em 2006. O projeto Acidum já realizou diversas proposta de ações e interações coletivas com outros artistas pelo Brasil, tendo fechado uma primeira fase de 5 anos de experiências com mais uma ação no suporte de uma publicação (livro/obra) intitulado de “Entregue às Moscas” em outubro de 2011 . Hoje as ações do Acidum seguem encabeçadas pelo casal Terezadequinta e Robézio, assumindo vários trânsitos e facetas de atuação. Além de ações colaborativas entre si e com outros artistas em projetos diversos. Seja com murais, design, fotografia, graffiti, Lambe-Lambe, Tatuagem, Stickers, Stencils, projetos áudio visuais ou exposições o coletivo deixa uma de suas marcas principais que é o experimentalismo e sua matriz de inspiração na arte urbana.

Em estruturas acessíveis ou inabitadas, o Acidum baseia fundamentalmente seu fazer artístico, subvertendo as noções de espaços reconhecidos como áreas estéreis, tanto no âmbito museológico como no baldio. Mencionando nestes espaços, possibilidades poéticas de atuação, seja pela arquitetura ou explorando o próprio peso simbólico que tais lugares carregam em seus campos de visualização e trânsito, criando micro-universos numa relação entre Obra-espaço-observador. As ações e construções criativas do Acidum têm como característica marcante seu repertório de seres obscuros, propagandas insanas, lendas urbanas, grafias desordenadas, cenários entorpecedores, elaborados a partir de um processo ritual de criação e produção.

Veja nossa entrevista com Acidum Project :


1 – Todo mundo que acompanha seu trabalho deve ter a curiosidade de como surgiu seu interesse pela arte, você pode contar pra gente ?

Isso é indefinível. Não conseguimos mesmo saber onde começa. Não da pra dizer o por que. É como sabemos fazer e sentir as coisas. A necessidade de se expressar se faz necessária ao ponto de tirar o sono até e nos leva a nos manifestar de alguma forma.

2 – Quem ou quais circunstâncias te levaram a investir na arte como uma carreira a ser seguida ?

A noção de “carreira” vem com um tempo, antes de qualquer coisa tem essa vontade de experimentar, de se expressar, e dai vamos reconhecendo-nos, percebendo, aceitando, adaptando e amadurecendo a forma de fazer o que fazemos e também sabendo que esse fazer tem valor e varias formas de reconhecimento.

Mural “Eva” Acidum em Fortaleza

3 – Quais foram os maiores desafios e dificuldades como artista ?

Acreditamos que o maior desafio é de fato viver de arte. Foram muitas as adaptações até resolvermos largar o que se entende por “empregos padrões”, onde se é funcionário de algo ou alguém, para dai nos dedicarmos a esse universo por tempo integral. Leva tempo até se estabelecer num processo continuo de arte. Projetos, editais, festivais, viagens são coisas que estão sempre em adaptação. Hoje esse período de 10 anos de Acidum é só uma das etapas que podemos citar de nossas vidas e apesar de podermos dizer que para nós hoje está mais tranquilo para exercermos nossa arte, o que não significa que as batalhas diárias não continuam como qualquer outro oficio, com suas incertezas, duvidas e desafios, mas acreditamos que esses momentos têm que existirem mesmo, mas devem ser analisados e transformados em matéria para um maior amadurecimento e força para novas realizações.

4 – Como foi a definição do estilo que você gostaria de trabalhar ?

Nosso trabalho acima de tudo é norteado pelo o experimentalismo e a mistura. Seja em reflexões e citações de referências da historia da arte, num realismo fantástico ou nos trabalhos mais espontâneos gostamos de nos sentir livres para transitar entre estilos e formas diversas. Pintamos seres entre o real e surreal. Isso reflete também nos materiais e suportes de nossas criações. O que está ao alcance da mão pode ser usado e ou adaptado. Trabalhamos com series, temas, técnicas e suportes diversos. Trabalhamos com duas cabeças e quatros mãos (risos).

Mural – “La plongée dans lautre” – Acidum em Paris

5 – De onde vem seu sopro de inspiração ?

Vem de tudo que consiga nos tocar. Mas existem expressões mais objetivas que podemos citar como referências de cinema, fotografia, lugares que encontramos ou nos relacionamos nas viagens. Realmente o cinema tem um papel importante na nossa criação devido ser uma linguagem tão plural, coletiva e que soma diversas formas de expressão para ser composta como a música, a fotografia, a moda etc. Sempre estamos procurando assistir algo novo ou antigo que gostamos. A leitura também é fundamental nessa construção, seja algo técnico, biográfico ou mesmo ficcional se torna um exercício de criação, imagético e de composição. Outro ponto inspirador é estudar a vida de artistas diversos e ou pessoas que desenvolveram ou desenvolvem algo interessante pra suas vidas. Tão importante quanto à obra é a vida em si de algumas dessas pessoas da arte ou não. Conhecer, ou até mesmo, se reconhecer na humanidade desses hoje artistas, sentindo seus acertos, erros, duvidas, dramas ou vitorias em alguns momentos pode ser tão inspirador quanto apenas observar sua produção.

Obra – “Olhos Cerrados” – Acidum

6 – Quais artistas do cenário atual você admira ?

Para nós todo artista que acabamos de conhecer, mesmo antigos sempre se tornam atuais. Mas sim, temos em diversas áreas artistas que são símbolos para nossa criação como Bosh, os espanhóis Goya, Picasso, San, os mexicanos Siqueiros, Frida, muitos brasileiros claro , Leonilson, Aldemir Martins, Helio Oiticica, Glauber Rocha, misturando tudo vão também Jodorowsky , Kusturica, RadioHead, Os Gemeos, Willian Eggleston, Chelpa Ferro, Moebius, Rinpa Eshiban, Tarkovisk, Rafael Hayashi, Eder de Oliveira, Francisco de Almeida, Efrain Almeida, Crepax, Schieler, Artur Bispo do Rosário, Njideka Akunyili Crosby, Tomas Paul Anderson, Henrique de Oliveira, J.Borges, Adriana Varejão, HeraKut, e por ai vai…

Acidum em Amazônia/Belém do Pará

7 – Quais cores não podem faltar no seu trabalho ?

Turquesa, marrom e dourado.

8 – O que você ainda sonha em realizar com a sua arte ?

Ah! Sonhamos muito. Esse tipo de coisa não é bem como “um objetivo” a ser alcançado, ou que tenha apenas um símbolo como conquista. Vimos como um processo contínuo de aprendizado, que acreditamos estar ligado a nossa forma de vida mesmo. Mas sim, ter maior liberdade ou independência nos processos criativos e de ação é uma realização constante que queremos manter e amplia, assim como poder sintonizar uma agenda sob um maior controle nosso, quebrar cada vez mais as barreiras geográficas e poder tocar e ser tocados por mais culturas são realizações constantes que queremos continuar alcançando.

Mural – “FORÇAS” – Acidum

9 – Quais foram as coisas boas, que a sua arte te trouxe ?

A arte nos proporciona está em contato com outras realidades, outros mundos e culturas. Ela nos leva a lugares que sonhamos e outros nunca tínhamos nem imaginado. Conecta-nos a pessoas incríveis e nos possibilita reencontrar amigos pelo mundo a fora.

10 – Se você não fosse artista, qual séria o plano b ?

Sempre falamos que a questão não é o “viver da arte”, pensamos que melhor é “viver com arte”. Assim acreditamos que de alguma forma sempre estaríamos ligados a algo artístico, adoramos trabalhos manuais, seja com marcenaria, bordado, trabalhar com estilismo, design ou artesanato.

Mural – “RESPIRE” – Acidum em Fortaleza

11 – Alguns artistas curtem ouvir músicas durante o processo criativo, com você funciona da mesma forma ? E na sua playlist o que não pode faltar ? 

Eita, ai poderia ser listas e listas. Fica difícil citar. Mas por exemplo, quando o Acidum começou a se formar e experimentar, tivemos mais influencias de projetos musicais como, Unkle, Mutantes, Parliment Funkadelic, DeftPunk, Chemical Brothers, Massive Atack, Gorillaz entre outras experiências desse tipo que se colocam como Projetos Musicais, e mais do que serem grupos e ou bandas, onde cada um faz uma coisa, são projetos com processos criativos bem coletivos e trazem parcerias externas para compor suas criações. Toda produção é bem musical aqui no ateliê. Escutamos muito: Connan Mockasin, Cidadão Instigado, Glue Trip, Coco Rosie, Bethânia, Bixiga 70, Beatles, RadioHead Mundo Livre, Céu, Eddie, Dona Onete, Mayra Andrade, Nina Simone, Cesaria Evora, Lorn. Gostamos muito também de ouvir trilhas completas para filmes como as composições de Edward Artemiev , Nick Cave & Warren Ellis, Enio Morricone, Jon Brion, Hans Zimmer, Nino Rota, Philip Glass, Goran Bregovic.

Obra – “Mistic” – Acidum

12 – Deixe uma mensagem para os nossos leitores.

Liberdade sempre. Se joga. Se tu gosta de arte ou qualquer outra forma de transformar a vida para algo. Invista todas suas forças nessa forma de viver, ofício, profissão, seja lá como possam nomear esse conjunto de formas de ver e expressar o mundo. Acreditamos que a arte deve ser libertadora. Tenha foco e disciplina. Tudo é pratica nessa vida. Comece agora!


Mais informações sobre Acidum Project :
Twitter@grupoacidum
Instagram : @acidumproject
Facebook : Acidum Project

Veja outros murais de Acidum :

Graffink + Acidum + Design Marker em Porto Latino/Córsega/França

Acidum – “A Árvore da Vida” – França Instituto AFM Telethon

Detalhes do mural “Eva” Acidum em Fortaleza

Mural – “KAMBÔ” – Acidum e Luan Rodrigues

Fonte : Acidum Project

Categorias
Murais
.

Relacionados por