Conheça o artista “Ed-Mun” e seus Graffiti

Além de Artista também trabalha como Arte Educador e formou-se como Agente Cultural

Ed-Mun iniciou no graffiti no ano de 1997 na sua cidade natal Belo Horizonte. Participou de grandes eventos em todas regiões do Brasil, países da America Latina, da Europa e Estados Unidos.

Formou o grupo PDF Crew, faz parte da DMC Rocks (Espanha), ABL (Brasil) E também é parte da Crew FX, uma das crews mais antigas e importantes do mundo que teve surgimento em Nova York e reuniu os maiores nomes do graffiti mundial.

Ed-Mun além de artista também trabalha como arte educador. Formou-se como Agente Cultural por um projeto de extensão da UFMG e FAE. Desde 2002 vem trabalhando com oficinas, palestras e workshops de graffiti para crianças, adolescentes e professores universitário. Também é designer e trabalha com artes digitais e vídeos.

Veja nossa entrevista com Ed-Mun :


1 – Todo mundo que acompanha seu trabalho deve ter a curiosidade de como surgiu seu interesse pela arte, você pode contar pra gente ?

Sim. Como toda criança gosta de desenhar, eu iniciei assim bem cedo o meu gosto pelos desenhos. Na escola estava sempre fazendo algum desenho, e quando iniciei na adolescência eu conheci a cultura Hip Hop onde tive contato com o graffiti. Naquela época não tinha materiais que ajudassem o aprendizado, mas eu arriscava escrever meu nome e dos amigos que pediam na sala de aula, fazia capas de trabalho, essas coisas. E ainda na escola já iniciando na juventude chegaram dois alunos novos na escola que também se interessavam por graffiti e Hip Hop, era muito raro naquele tempo conhecer alguém assim.

Esses dois amigos, Tom e Renato, eram B.Boys e também estavam iniciando no graffiti, e ainda nesse ano, em 1997 eu saí com eles para o meu primeiro encontro de graffiti, teria uma roda de Break e eu fui dançar, eu era B.Boy, mas tive a oportunidade de colorir uma letra que ficava muito alta no muro e eu sempre fui alto então me pediram pra preencher as letras O e S, o grupo chamava-se OS MANOS, depois desse dia eu comecei a ir em outros e fui aos poucos aprendendo a trabalhar com tinta, usava quase tudo em tinta latéx, spray era só em algum contorno e eu tinha muito medo de utilizar.

Meu primeiro graffiti só com spray foi em 2003, foi com um amigo de Paulista que morava em BH e se chamava “Magia” na época, hoje conhecido como “Soul” e em 2005 conheci Hisne e Rakan, dois amigos que realmente me motivaram a pintar, pois eu pintava com uma freqüência muito baixa, pois dedicava grande parte do meu tempo na música RAP, nessa época eu já não dançava mais.

Eles me chamaram pra entrar pra Uaites Crew, que era a crew deles, desse tempo pra cá eu não parei de pintar, deixei a música, a dança e me dediquei total ao graffiti. E assim pude evoluir e conquistar tudo o que conquistei até o momento.

2 – Quem ou quais circunstâncias te levaram a investir na arte como uma carreira  a ser seguida ?

O graffiti se tornou minha paixão e não queria deixar meu sonho de lado, e em 2001 eu fiz parte de um grupo de formação de agentes culturais que me capacitou a trabalhar com oficinas e projetos sociais, assim eu conseguia retirar um sustento ensinando as crianças o meu oficio.

3 – Quais foram os maiores desafios e dificuldades como artista ?

O artista no Brasil não vive sem desafios e pedras no caminho, por isso mesmo ele é um artista, driblamos a cada dia um obstáculo eu sinceramente não sei nomear essas pedras, mas sei que o mais importante é não deixar que nenhuma delas faça você voltar para trás, tem que passar por cima, seguir em frente e estar pronto para um novo obstáculo.

4 – Como foi a definição do estilo que você gostaria de trabalhar ?

Eu não entendia de estilos quando comecei a pintar, mas me encantei com os trabalhos em 3d, vi os trabalhos do Daim, Loomit, Peeta, Hyper entre outros e comecei a querer entender a lógica de luz e sombra, perspectiva e criei a minha letra em cima desses estudos.

5 – De onde vem seu sopro de inspiração ?

Vem de tudo que faço e tenho na vida, pois o graffiti é meu estilo de vida e tudo que vivo faz parte dele, mesmo em uma reunião de família eu to respirando graffiti.

6 – Quais artistas do cenário atual você admira ?

Bom, sinceramente prefiro não nomear (risos) são centenas, cada um ou uma, cada amizade e admiração que tenho nesse mundo colorido, são muito valiosas, são muitos artistas que me influenciam na arte e na vida, só queria destacar o Fhero é mais que amigo e um consultor que tenho pra tudo, o cara é muito artista e sabe palpitar, nunca erra e o Does também que virou um irmão pra mim e grande influencia na arte, toda minha Crew PDF, a FX, ABL e DMC Rock, não me falta inspiração.

7 – O que você ainda sonha em realizar com a sua arte ?

Meu sonho e continuar sempre com minha arte, quero mesmo é ter saúde pra sempre poder ta pintando, pois trabalhamos com um material químico e perigoso e quase não nos protegemos, nem mesmo da radiação solar.

Enquanto eu estiver bem e pintando eu quero conhecer mais lugares e pessoas, ser feliz, ter uma vida de férias eternas e assim poder sustentar minha família através disso.

8 – Quais foram as coisas boas, que a sua arte te trouxe ?

Muitas coisas, dentre elas é ver como as pessoas me tratam, me respeitam, me admiram. Eu pude mudar vidas nos projetos, ensinar coisas positivas para muitas crianças perdidas, eu conheci outros países e em todos que pisei os escritores tinham o mesmo respeito por mim, eu me sinto muito honrado e não sei dizer o tamanho da satisfação que tenho e agradecimento por todas essas pessoas que acompanham, que compram meu trabalho e aquelas que criticam também, pois só o elogio não te leva a lugar nenhum.

9 – Se você não fosse artista, qual séria o plano b ?

Seria Design gráfico ou Vídeo Maker, algo assim. Adoro fazer vídeos, trabalhar com o computar, sou um artista que fuça nessas ferramentas ao meu favor.

10 – Alguns artistas curtem ouvir músicas durante o processo criativo, com você funciona da mesma forma ? E na sua playlist o que não pode faltar ? 

Eu sempre tento ouvir música enquanto pinto, mas a cada 3 minutos de música sou interrompido, ou são as coisas da rua, pessoas, amigos é complicado, mas quando to produzindo no silencio gosto de músicas mais calmas, como Trip Hop ou até mesmo sons relacionados a meditação. No barulho eu já escuto Rap ou até mesmo Dubstep que é pra estressar de vez (risos). Ultimamente não está me faltando Onyx na Playlist.

11 – Deixe uma mensagem para os nossos leitores.

Nunca desista dos seus sonhos, seja qual for, lute, passe por cima de cada pedra e foque no que vou dizer, eu adorava desenhar, mas de verdade, eu era muito ruim, no inicio do graffiti então, nossa eu era péssimo, eu não nasci com dom nenhum, eu pratiquei e aprendi, no inicio sozinho, sem youtube, sem revista, sem nada, depois com amigos que também não tinham essas informações até chegar onde estou e eu estou no comecinho ainda, eu quero subir muito, eu quero aprender mais e mais e evoluir a cada pintura, isso me faz crescer, meu dom eu mesmo faço.


Mais informações sobre Ed-Mun :
Facebook : Ed-Mun Pdf Crew
Instagram : @edmunpdf
Sitehttp://ed-mun.com

Fhero + Ed-Mun + Tot – Alice Mural

Fernando Beserra + Ed-Mun + Gud Assis

Fonte : Ed-Mun

Categorias
Murais
.

Relacionados por